osb tmrj

Orquestra Sinfônica Brasileira – Concerto de Dia das Crianças

Na manhã do dia 12 de outubro o Theatro Municipal do Rio de Janeiro será o palco de uma grande homenagem ao Dia das Crianças. Regida pelo maestro Jésus Figueiredo, a Orquestra Sinfônica Brasileira vai se apresentar com repertório escolhido especialmente para a criançada: O Carnaval dos Animais, de Camille Saint-Saëns, e Pedro e o Lobo, de Sergei Prokofiev. Com narração do ator Jonas Hammar, o espetáculo terá início às 11h e os ingressos terão preços populares. A Orquestra Sinfônica Brasileira conta com a Lei Rouanet e tem a NTS como mantenedora, Vale, Brookfield e Eneva como patrocinadoras. A produção é mais uma parceria entre a Fundação OSB e a Fundação Theatro Municipal, que conta com o patrocínio Ouro da Petrobras.

O Carnaval dos Animais foi composta pelo francês Camille Saint-Saens em 1886, mas só estreou para o grande público em 1922, pouco depois de sua morte. Esta foi uma decisão do próprio Saint-Saens, que temia que a peça afetasse sua reputação de “compositor sério”. Conhecida como “Grande Fantasia Zoológica”, O Carnaval dos Animais conta com 14 movimentos: os 13 primeiros inspirados em personagens específicos (leão, tartaruga, elefante, entre outros) e o último um grande desfile de toda a bicharada. Os pianistas Ramon Theobald e Rafael Ruiiz se juntam à OSB para execução da peça.

Baseada em um conto infantil russo, Pedro e o Lobo, de Sergei Prokofiev, acompanha o corajoso protagonista em uma aventura pelo bosque. “A história estimula as crianças a confiarem em sua inteligência e instinto, já que são características como independência, curiosidade, sensibilidade e astúcia que salvam o dia. A obra foi composta por um “menino” de 45 anos que amava a imaginação irrestrita da infância, bem como sua capacidade de criar e incapacidade de dissimular”, comenta Pablo Castellar, Diretor Artístico da OSB.

Em Pedro e o Lobo, cada personagem é representado por um instrumento ou naipe. O protagonista é representado pelas cordas, enquanto o oboé dá vida ao pato, a flauta ao pássaro, o fagote ao avô de Pedro, a trompa ao lobo e o naipe de madeiras, os tímpanos e a percussão aos caçadores. “É uma ótima oportunidade para apresentar a crianças e jovens os instrumentos de uma orquestra e toda a sua riqueza de timbres”, completa o maestro Jésus Figueiredo.


SOBRE A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA:

Reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes da música nacional, a Orquestra Sinfônica Brasileira soma mais de cinco mil concertos ao longo de seus 78 anos de atuação, revelando diversos talentos e promovendo, através de seus projetos educacionais e concertos públicos, a democratização do acesso à cultura.

Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira foi pioneira não só na forma de levar a música sinfônica e de concerto para todos os cantos do Brasil e outros países, como também no incentivo à formação de novos talentos e difusão da cultura no território nacional.


SOBRE JÉSUS FIGUEIREDO
:

Nascido no Rio de Janeiro, Jésus Figueiredo é Mestre em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Desde 2014 é o maestro titular do Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, atuando também à frente da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal em diversos concertos e balés. Jésus Figueiredo já regeu importantes orquestras pelo país, como a Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Filarmônica do Ceará, Orquestra Sinfônica da UFRJ, Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense, Orquestra Sinfônica de Barra Mansa e Orquestra de Câmara do Amazonas. Na Argentina, dirigiu a Orquestra Sinfônica da Universidade de Cuyo, a Orquestra Acadêmica do Teatro Colón, em Buenos Aires, e a Orquestra Sinfônica de San Juan.

 Como professor, trabalha na pós graduação do Conservatório Brasileiro de Música, e já atuou também na Universidade de Barra Mansa (UBM) e na Escola de Música da UFRJ. Como maestro de coro, gravou dois CDs: Mistura Lírica (2005), com o Coro Masculino do Rio de Janeiro; e O Colombo (1998) – ópera de Carlos Gomes – que lhe rendeu os prêmios APCA e SHARP (melhor CD de música clássica brasileira do ano). Figueiredo também foi premiado pela APCA em 2016, pelas óperas Don Quixote (Massenet) e Lo Schiavo (Carlos Gomes). Além de seu trabalho como professor e regente, Jésus tem se apresentado com o Gravidades Trio, no qual é organista.

 

 SOBRE JONAS HAMMAR:

Músico, ator/cantor, diretor cênico, regente e produtor cultural, Jonas Hammar cursou Relações Públicas na FACHA, bacharelado em Artes Cênicas na UniverCidade, Filosofia na UniRio e atualmente cursa licenciatura em Música, também na UniRio. Começou a carreira artística em 2006.

 Como ator/cantor, trabalhou com Bibi Ferreira (Bibi In Concert III), Claudio Botelho e Charles Möeller (7-O musical / Beatles num céu de diamantes / Milton Nascimento: Nada será como antes), Gustavo Gasparani (As mimosas da praça Tiradentes / Samba Futebol Clube, Gilberto Gil – Aquele Abraço / Bem Sertanejo – O Musical), Luiz Carlos Tourinho (Hair),Karen Acioly (Fedegunda / Cabelos Arrepiados / Experiência Yellow), Guto Graça Mello (Quattro), Paulo Malagute (Canto do Rio), Cia. O Barra (Zé com a Mão na Porta) entre outros.Em 2013 dirigiu o show da atriz e cantora Izabella Bicalho e em 2015 participou como cantor e percussionista da gravação do DVD “Outro” de Jerry Adriani.

 Assinou por três anos a direção artística e regência do grupo EmBandoCanto. Atualmente é o diretor cênico e percussionista da ‘Cia. Dá no Coro de Musica e Cena’ e regente do Coral da Urca, Coral do ICRJ, Coral da Pedra, Coral Cênico do Imperator e Coral Cênico da Cesgranrio. Desde 2014 vem realizando grandes projetos em prol do Canto Coral, como a Série “Encontros Vocais” e “OCC-Observatório de Canto Coral Carioca”.

 Em 2013 entrou para o elenco da cia. norte-americana ‘Blue Man Group’. Em vídeo, participou do vídeo-clipe “Luz Fria” (Caos e Cinema) e do vídeo-jogo “Crimes Interativos”. Em sua formação artística passou por diversas escolas, tais como: Escola de Música Villa-Lobos, Tepem, Cigam, Seminários de Música Pro-Arte, O Tablado, Studio Escola de Atores e EAV- Parque Lage.

 Orquestra Sinfônica Brasileira

Jésus Figueiredo, regência

Jonas Hammar, narração

Ramon Theobald e Rafael Ruiz, piano (O Carnaval dos Animais)

 

 PROGRAMA:

OBRE JEAINERUIS STEUERMAN e 5

Camille Saint-Saëns – O Carnaval dos Animais

Sergei Prokofiev – Pedro e o Lobo



  PATROCÍNIO OURO 
unnamed

OUT 12 - 11h


 

Preços

Primeira fila – Frisas e camarotes – R$80,00

Segunda fila – frisas e camarotes – R$60,00

Terceira fila – frisas e Camarotes – R$40,00

Plateia  – R$80,00

Balcão nobre – R$60,00

Balcão superior – R$40,00

Balcão superior lateral – R$20,00

Galeria – R$20,00

Galeria lateral – R$10,00

“Alertamos que, nos dias de espetáculos, é proibida a entrada no Theatro usando bermuda e/ou chinelos.”

“O Theatro Municipal do Rio Janeiro dispõe de meia entrada para:

Estudantes (mediante apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) da UNE, UBES e ANPG )
Idosos “