Escola Estadual de Dança Maria Olenewa realiza Apresentação de Formatura de 2016

Os alunos executarão três balés de variados coreógrafos em um
vibrante espetáculo aberto ao público com ingressos populares

Uma das principais referências no ensino de balé clássico no país, com 89 anos de anos de tradição, a Escola Estadual de Dança Maria Olenewa, pertencente à Fundação Teatro Municipal do Rio de Janeiro – vinculada à Secretaria de Estado de Cultura – realiza sua Apresentação de Formatura no próximo dia 17 de dezembro, às 11 horas, com ingressos populares, entre R$ 10,00 e R$ 30,00. Durante a cerimônia de graduação, os alunos executarão as coreografias La Barre, Degas em Movimento e Suite Coppélia, sob a direção de Helio Bejani. A solenidade terá como apresentadora a atriz Angela Vieira, formada pela EEDMO em 1974 e ex-integrante do Corpo de Baile do Theatro Municipal.

Sobre as coreografias

La Barre – Criada há 44 anos pelo iugoslavo radicado no Brasil Vassili Sulich, La Barre foi inspirada na música Adagio for Strings, de Samuel Barber. Esta peça é considerada um símbolo, uma vez que todos os bailarinos iniciam e terminam as suas vidas profissionais com a barra. O objetivo é mostrar que o cotidiano do balé embora repetitivo, pode não ser enfadonho com plié, battement, fondue.

Degas em Movimento – Inspirada nas pinturas de Degas, esta coreografia evoca uma atmosfera em que, por meio da licença poética permitida a todo artista, os alunos desligam-se de suas próprias realidades para apresentar ao público um espetáculo que mostra de forma lúdica e delicada um pouco deste mundo do balé. Com músicas de Karl Czerny, os alunos vão executar coreografias de Paula Albuquerque, Cristiana Campello, Cristiane Quintan, Rosinha Pulitini e Victor Ciattei que mostram a evolução em vários níveis de complexidade e a trajetória de um aluno que se torna professor.

Suite Coppélia – Com coreografia original de Arthur Saint-Léon, libreto de Charles Nuitter e música de Leo Delibes, Coppélia é um balé cômico-sentimental. A historia é baseada em um conto de E.T.A. Hoffmann intitulado Der Sandmann (O Homem de Areia), publicado em 1815. É um balé em três atos que narra a história da jovem Swanilda que vê seu namorado Franz se encantar por Coppélia, uma boneca criada pelo Dr. Coppelius. Na Suíte do balé serão apresentadas as cenas dançantes do primeiro e do terceiro ato. 

Sobre a Escola

A Escola Estadual de Dança Maria Olenewa foi fundada em 1927, sendo, portanto, a mais antiga instituição brasileira dedicada ao ensino da dança e à formação de bailarinos clássicos. Sua fundadora, a bailarina russa Maria Olenewa (1896-1965), esteve no Brasil em turnê como integrante das companhias de Ana Pavlova e Leonide Massine, em 1918 e 1921, respectivamente. Em 1926 a bailarina se estabeleceu no Rio de Janeiro, onde iniciou importante trabalho pedagógico. Com o apoio de Mário Nunes, crítico teatral do Jornal do Brasil, Olenewa apresentou ao governo do então Distrito Federal a proposta de criação de uma escola de formação de bailarinos. O objetivo principal era possibilitar a futura organização de um corpo de baile para atuar nas temporadas líricas, evitando a constante contratação de profissionais no exterior, como também de viabilizar o estabelecimento de uma temporada de dança voltada para a apresentação dos balés de repertório. A aula inaugural realizou-se em 11 de abril de 1927. Em 19 de novembro a escola realizou seu primeiro espetáculo com o balé Les Sylphides e Divertissements.

Os decretos 3.506 e 3.507 de 1931 do prefeito Adolpho Bergamini oficializaram e sistematizaram as atividades da escola, com a criação do primeiro regimento, passando a chamar-se Escola de Danças Clássicas do Theatro Municipal. O trabalho de Maria Olenewa resultou, em 1936, na criação do Corpo de Baile com alunos oriundos da escola. Maria Olenewa permaneceu à frente da escola até 1943, quando se transferiu para São Paulo, onde criou a Escola de Bailados do Teatro Municipal da capital paulista. O bailarino estoniano Yuco Lindberg (1906-1948) a sucedeu. Ao longo de sua trajetória a escola foi vinculada a diferentes organismos. Em 1963 foi desvinculada do Theatro Municipal e passou a chamar-se Escola de Danças do Estado da Guanabara. Em 1965 voltou a fazer parte da estrutura administrativa do Theatro Municipal até 1975, quando foi mais uma vez dele desligada para integrar o Instituto Nacional das Escolas de Arte, passando a denominar-se Escola de Danças do INEART. A atual denominação foi estabelecida em 1982 por decisão do governador Chagas Freitas a partir de sugestão da Associação de Ballet do Rio de Janeiro em homenagem a fundadora da Escola de Dança.

Atualmente utiliza as instalações do terceiro andar do Prédio Anexo do Theatro Municipal, enquanto aguarda a finalização de sua nova e definitiva sede na Central Técnica de Produções, na Gamboa. A Escola de Dança oferece curso profissionalizante com aulas de balé clássico, pas-de-deux, repertório clássico, danças características, dança espanhola, balé contemporâneo, composição e improvisação, história da arte, história da dança, terminologia da dança clássica, educação musical, comportamento e atitude profissional. Ao longo de sua existência vem sendo responsável pela formação dos mais importantes nomes brasileiros que atuam como bailarinos, coreógrafos, maîtres, professores e ensaiadores no Brasil e no exterior.

SERVIÇO
APRESENTAÇÃO DE FORMATURA ESCOLA ESTADUAL DE DANÇA MARIA OLENEWA
Apresentação – Angela Vieira
Direção – Helio Bejani

Programa:
La Barre
Música – Samuel Barber
Coreografia – Vassili Sulich
Ensaiadores – Vassili Sulich e Amanda Peçanha

Degas em Movimento
Música – Karl Czerny
Coreografias – Paula Albuquerque, Cristiana Campello, Cristiane Quintan, Rosinha Pulitini e Victor Ciattei
Concepção e Direção de Cena – Helio Bejani

Suite Coppélia
Música – Leo Delibes
Coreografia – Arthur Saint-Léon
Remontagem, Adaptação e Ensaios – Teresa Augusta, Márcia Faggioni, Paulo Rodrigues, Amanda Peçanha, Silvana Andrade e Victor Ciattei
Direção de Cena – Helio Bejani

Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Praça Floriano, s/nº – Centro

Dia 17 de dezembro, às 11h**

Preços:
Frisas e Camarotes – R$ 180,00
Plateia e Balcão Nobre – R$ 30,00
Balcão Superior – R$ 20,00
Galeria – R$ 10,00

Capacidade – 2.227 lugares
Classificação etária – Livre
Informações – (21) 2332-9191

**Vale lembrar que, mesmo na sessão matinal, não é permitida a entrada de pessoas trajando bermuda, short, top, camiseta sem manga e chinelos, exceto para crianças até 10 anos.

Informações para imprensa – 2332-9238 / 98596-6489